Buscar
  • EEL Júnior

O que as empresas estão fazendo para gerar receita com o menor impacto ambiental possível?


O gerenciamento de resíduos sólidos se refere ao manuseio adequado dos resíduos industriais desde a sua produção até o destino final, de modo a preservar o meio ambiente e a saúde pública. A partir dessa ferramenta, uma das aplicações mais exploradas no mercado atual é a reutilização do resíduo como possibilidade de reduzir a quantidade de efluente descartado ou até mesmo de aumentar a receita através de sua venda. Já imaginou conseguir todos esses benefícios? O principal passo para a concretização é o planejamento personalizado.



Fonte: https://overbr.com.br/

Não existe uma fórmula geral capaz de resolver todos os problemas e otimizar todos os processos, uma vez que até mesmo as empresas do mesmo ramo e porte possuem suas características intrínsecas. Logo, para obter sucesso é necessário entender a sua realidade e a partir disso traçar um planejamento de resíduos sólidos eficiente para a sua localização, quantidade e tipos.

Em um artigo publicado na revista Exame, em outubro de 2016, a Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (ABETRE) informou que o Brasil produz 33 milhões de toneladas de resíduos industriais ao ano e, deste montante, 25 milhões de toneladas não são tratadas adequadamente, o que mostra que esse é um problema comumente encontrado. Frente a isso, o gerenciamento de resíduos sólidos é uma solução capaz de criar oportunidades para os resíduos e produtos fora das especificações que não tenham aplicação direta no mercado, de modo a impactar diretamente a empresa e o meio ambiente.



Fonte: https://www.iso140012015.com.br/


Mas quando iniciar o gerenciamento de resíduos sólidos? Para entender qual a melhor estratégia para começar se faz necessário o entendimento de dois importantes conceitos.

Você sabe qual a diferença de medidas corretivas e preventivas?

Medidas corretivas visam buscar uma maneira de solucionar o problema após ele já ter acontecido, assim as empresas fazem todo um estudo de caso e analisam a melhor maneira de correção, entretanto esse modelo por precisar ser feito de uma maneira mais intensa e em um intervalo de tempo pequeno pode acabar custando muito caro.

A outra maneira, a preventiva, faz justamente o oposto, nela analisa-se todo o processo produtivo da fábrica e detalha-se todos os pontos nos quais podem ocorrer problemas futuros ou desperdício de material, seus benefícios aparecem na melhoria da qualidade do produto, pois assim evita-se que em certos momentos ele entre em contato com reagentes desnecessários e com o seu preço bem mais acessível do que a outra proposta anterior.

Dessa forma, seguindo o pensamento preventivo, a EEL Júnior oferece esse serviço, com o apoio dos professores doutores da universidade e com a utilização dos laboratórios da USP, nossa equipe trabalha estratégica e continuamente de modo a encontrar a melhor maneira de desenvolvimento da sua empresa, fazendo você lucrar sempre mais, pois diminui o seu gasto energético com insumos desnecessários e reaproveita todo material possível em sua linha de produção.

63 visualizações

(11) 94788-9510

Estrada Municipal do Campinho, s/n°  

Lorena/SP

Escola de Engenharia de Lorena - USP

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branca Ícone Instagram