• EEL Júnior

Jornada além dos muros

Seja bem vindo, caro leitor, a essa jornada em busca dos artefatos que vão te ajudar a desenvolver a sua criatividade. Mas antes, precisamos deixar alguns pré-conceitos de lado. Eles são viesses que nos bloqueiam, como:


  • A criatividade é só para artistas

  • Ser criativo é um dom

  • Criatividade é coisa de gente doida


Precisamos também conhecer o que realmente é a criatividade. Ela nada mais é do que a imaginação aplicada para a resolução de problemas, então, se você é um ser humano, é capaz de imaginar, portanto é um ser criativo.


Pronto! Você está preparado para embarcar nessa missão e, aqui está nosso guia:


  • Definição do problema

  • Input

  • Processamento

  • Output


Definição do problema


Bom, o primeiro passo para a resolver problemas é conhecer bem o problema, parece óbvio né?! Mas, muitas vezes definimos o problema errado e acabamos dando soluções triviais a eles.


A técnica dos 5 porquês pode te ajudar a desenhá-lo melhor. Ela funciona assim, você pega o problema que aparentemente tem e pergunta 5 porquês para ele. Vou dar um exemplo aqui para clarear mais:


Imagina que trabalhamos em um prédio e, o elevador é muito lento. O comum aqui é pensar que o problema é a velocidade do elevador e poderíamos até propor um projeto de elevador com um motor mais potente. Mas vamos analisá-lo:


  • Fazer o elevador funcionar mais rápido


Por que?


  • As pessoas precisam chegar a seu destino mais depressa


Por que?


  • Não podem perder tanto tempo


Por que?


  • Se sentem mal quando o fazem

Por que?


  • Não tem nada a fazer


Por que?


  • Sentem-se ansiosas


Aqui percebemos que o real problema é a ansiedade que as pessoas sentem quando estão no elevador. Assim podemos propor soluções que a diminuam, como, por exemplo, colocar espelhos!!


Input


Problema definido, temos que buscar em nosso repertório ideias de como podemos solucioná-lo. E para se ter um número grande de possibilidades, o caminho é ter um acervo variado. Nessa instância, basta que exploremos universos desconhecidos. Ler uma revista que não faça muito o nosso estilo, assistir um filme de um gênero totalmente diferente, ler livros de assuntos que não dominamos, conversar sobre assuntos inusitados, a lista é infinita. Seja criativo para elaborar seu portfólio!


Processamento


Para processar as informações sobre uma situação, precisamos utilizar a ideia de pensamento divergente e convergente. Divergimos quando queremos ampliar nossas possibilidades e convergimos quando criticamos e focalizamos nossas ideias. Somos naturalmente críticos, ou seja, usamos muito o pensamento convergente. Por isso, apresento a você técnicas de pensamento divergente:


Brainwriting


A sua ideia é semelhante a do famoso Brainstorming, mas sem a parte de julgar as ideias assim que são dadas. A técnica consiste em cada participante escrever em um papel o maior número de ideias possíveis em um curto intervalo de tempo. Ah, definir um número mínimo é fundamental, porque a partir daí que a nossa criatividade realmente entra em ação.


Advogado do Anjo


Todo mundo conhece o advogado do diabo, é quando pegamos uma ideia é levantamos os pontos negativos dela. O advogado do anjo é o contrário, defendemos o que gostamos nela. Essa técnica pode ser usada depois de um brainwriting para aumentar um pouco a divergência.


Escassez


Quando temos recursos limitados, seja tempo ou dinheiro, deixamos a imaginação fluir melhor. Assim, a próxima vez que tiver um problema, tente limitar a sua solução. Vai se surpreender.


Dominação


Esse nome não é nada sugestivo, mas essa técnica consiste em usar alguma força natural para realizar algum trabalho sem que haja mudança no foco dela. Deve ter ficado um pouco confuso, vou dar alguns exemplos: usamos a força da água para gerar energia, podemos usar uma rua movimentada de carros para amassar latinhas ou até mesmo para abrir castanhas!!


Output


Concluindo essa caminhada, chegamos ao ponto de expor nosso protótipo de solução, para isso, podemos usar algumas técnicas como a lean startup e a BWA( do inglês, análise do melhor e pior), as duas consistem em melhoria contínua com análise de risco. Decidi aqui explicar só a BWA, supondo que você já conheça a lean.


Ela é um técnica bem simples, basta se fazer essas 4 perguntas:


  1. Qual a pior coisa que pode acontecer, caso eu não tome esta decisão?

  2. Qual é a melhor coisa que pode acontecer, caso eu tome esta decisão?

  3. Qual é a pior coisa que pode acontecer, caso eu tome esta decisão?

  4. Qual é a melhor coisa que pode acontecer, caso eu não tome esta decisão?

Responder essas perguntas ajuda e entender o que está em jogo e avaliar qual é o melhor e o pior cenário!!


Se você chegou até aqui, queria lhe parabenizar, agora você claramente está pronto para trabalhar a sua criatividade. E lembre-se, o mais importante de ser desbloqueado é aprender a não bloquear!!

7 visualizações