Buscar
  • EEL Júnior

Como as empresas buscam no desenvolvimento de novos materiais alternativas para reduzir seus custos?

Atualizado: 14 de Ago de 2019

O desenvolvimento de novos materiais torna-se cada vez mais uma alternativa para as empresas conseguirem seguir competitivas no mercado, reduzirem seus custos de produção e promover uma maior qualidade e segurança ao mercado consumidor.


O que mais chama a atenção em relação a esse processo de desenvolvimento, no ramo de materiais, é a gama de aplicações desenvolvidas com a descoberta de propriedades novas, tendo como resultado uma alternativa de substituição ou melhoramento de materiais tradicionalmente usados, proporcionando ganho de performance, agilidade na produção, menor investimento e melhoria das propriedades mecânicas.


A tendência é que cada vez mais tenhamos o desenvolvimento de novos produtos com propósitos específicos, um produto passa a não ser mais de uso exclusivo para determinado material, pelo contrário, diversos materiais passar a competir para assumir uma função específica.



Temos cada vez melhores condições para uma seleção de materiais mais adequados às especificações de determinado produto.

Temos um futuro direcionado para a engenharia simultânea, na qual indústria de base, indústria metalúrgica e montadoras devem seguir um fator chave para o sucesso, trabalho em conjunto, desenvolvimento de materiais por todos os setores envolvidos com seu uso final.


Além disso, o desenvolvimento de novos materiais assume um viés multidisciplinar, já que exige um conhecimento produzido por diversas áreas.

Atualmente no Brasil tem-se um estudo e pesquisa mais aprofundados acerca desse tema em setores como o automobilístico e aeroespacial, principalmente no desenvolvimento de materiais oriundos de combinações macroscópicas de dois ou mais materiais, chamados de compósitos, que é o caso de ligas metálicas, polímeros e fibras de carbono.


Essa mistura proporciona melhores características mecânicas e químicas, tornando o material mais leve, resistente entre outras características.

A substituição do alumínio por compósitos poliméricos, por exemplo, pode proporcional uma redução de ate 30% de peso além de reduzir em até 25% mais barato o custo de produção. Na indústria automobilística a tendência é a substituição de componentes metálicos por compósitos de fibra de vidro ou carbono quem reduzem significativamente o peso e aumentam a capacidade de absorção de impacto tornando-se uma alternativa mais segura.


A seleção de materiais se torna cada vez mais a alternativa ideal para quem busca melhorar a qualidade de seu produto ou reduzir custos com a produção e a EEL Júnior oferece esse serviço, com o apoio dos professores doutores da universidade e com a utilização de toda a infraestrutura do departamento de Materiais, um polo de pesquisa no ramo de materiais do Vale do Paraíba, nossa equipa trabalha de maneira estratégica e contínua de modo a encontrar a melhor maneira de oferecer as soluções ideais para o seu negócio!



32 visualizações